Editoriais \ opinião agora-to.com.br

Sábado , 09 de Novembro de 2019 - 07hs13

justiça

O Brasil está de luto: o STF derruba prisão em segunda instância para gáudio dos corruptos

Fonte: Da Redação

Tamanho da Letra A- A+

Carlos Moura/STF

Por 6 votos a 5, o STF abriu a porteira para conceder e garantir a liberdade de políticos corruptos presos ou que se encontrem em fase processual.

Este país é irremediável! E a Suprema Corte por pressão de políticos e partidos corruptos capitulou vergonhosamente derrubando o seu próprio entendimento, que autorizou a prisão em 2016. A sociedade tem que se movimentar para repelir tão vergonhosa decisão.

Esse negócio de cláusula pétrea é uma ficção jurídica obsoleta. Perfeição jurídica só se a CF fosse escrita por Deus, para quem acredita nele.

O Direito tem que ser uma ciência dinâmica, e não estática,  e refletir as exigências de uma sociedade democrática. As normas  não podem ficar amarradas a procedimentos  jurássicos que só favorecem  os elementos poderosos, abonados e que podem contratar para suas defesas bancas advocatícias bem-sucedidas  e treinadas na arte da chicana jurídica dos recursos protelatórios.

É uma grande  falácia dizer que  a prisão em segunda instância fere o princípio  da presunção da inocência.  Jamais, pois o seu direito recursal permanece. E o efeito positivo é não favorecer a impunidade duradoura.

Com a permanência do trânsito em julgado em matéria penal, o país fica isolado entre outras nações democráticas e chancela a continuação da impunidade. Vejam  países que adotam a prisão em primeira e segunda instância: Alemanha, Argentina, Canadá, Espanha, EUA, Inglaterra. Na ONU, 193 dos 194 países filiados têm prisão em primeira e segunda instância. 

Neste momento, onde fica a segurança jurídica dos cidadãos, se o próprio STF demonstra pusilanimidade e inclinação  política para favorecer a liberdade de Lula  ao rever em apenas três anos a sua própria decisão?

Se for levado a sério o que está na CF, a prisão diferenciada dispensada a Lula na Polícia Federal, em Curitiba, fere frontalmente o disposto no Art. 5º da CF, que trata da igualdade de tratamento entre pessoas no Brasil.

Por que o ex-presidente Lula até agora foi tratado como um delinquente VIP? Não consta em lugar algum, seja na Constituição Federal  ou em lei penal, que um ex-presidente da República não possa ficar recluso em presídio comum.

O STF, doravante, pode ser considerado um tribunalzinho sem credibilidade, de ministros vacilantes e frouxos, respeitadas algumas exceções. Tribunal claudicante que muda de entendimento de uma hora pra outra, como se testemunhou a atitude do impoluto ministro Gilmar Mendes -  o mesmo que manda soltar por habeas-corpus corruptos -, que amarelou mudando  de posição o seu voto para derrubar a prisão em segundo grau. O STF deveria ser alvo de CPI no Senado, mas falta coragem de seu presidente, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Como ilustração, consta que o ministro Celso de Mello, um dos signatários contrários à prisão em segunda instância,  já foi tachado de juiz  de merda. Por que será?  “Entendi que você é um juiz de merda”, disse Saulo Ramos. A história está relatada no livro “Código da Vida”, de Saulo Ramos, ex-ministro da Justiça responsável pela nomeação de Celso de Mello para o STF no governo Sarney. (Por Júlio César Cardoso)

Júlio César Cardoso é Servidor federal aposentado


Comentários enviados por leitores:

Sem comentários registrados/aprovados até o momento.
Quer ser o primeiro a comentar esta notícia? Clique aqui...

Plantão

+ Comentadas

Sem Informativos
2008 - 2019 Agora-TO seu portal de Notícias - Todos os direitos reservados | Contato/Fax: (63) 3214-1853 | redacao@agora-to.com.br